Remake de 'Renascer' estreia com fôlego para salvar novelas da Globo – UOL

 Remake de 'Renascer' estreia com fôlego para salvar novelas da Globo – UOL
Compartilhe

Acesse seus artigos salvos em
Minha Folha, sua área personalizada
Acesse os artigos do assunto seguido na
Minha Folha, sua área personalizada

Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Gostaria de receber as principais notícias
do Brasil e do mundo?
Expressa juízo de valor sobre a obra cultural comentada e destaca seus elementos positivos e negativos
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
“Renascer” renasce mais de três décadas depois da novela original alguns tons abaixo da selvageria de outrora. Se na década de 1990 era Luiz Fernando Carvalho quem conduzia o clássico de Benedito Ruy Barbosa com todos os requintes de sua linguagem barroca, agora a trama, nas mãos de Gustavo Fernandez, parece ajustada aos tempos atuais.
Não que o mundo tenha se pacificado de lá para cá. Mas o espectador da telenovela antiga, já de olhos calejados por tantos anos de streaming e a linguagem pasteurizada das séries, talvez não aceitasse a lentidão ousada e os horizontes saturados de então.
O primeiro capítulo do remake, a aposta mais alta da TV Globo para contornar uma crise de audiência sem precedentes, é um acerto, deslumbrante na medida certa.
Noveleiros já conhecem a trama, mas a saga de José Inocêncio, na pele de Humberto Carrão até a segunda fase da história, quando passa a ser vivido por Marcos Palmeira, tem tudo para conquistar uma nova geração desconectada do chamado Brasil profundo.
“Renascer”, com a fotografia sem arestas de Fabrício Tadeu e o roteiro correto de Bruno Luperi, neto de Barbosa, deslancha num belo contraponto com a trama antecessora do horário nobre, a catastrófica “Terra e Paixão”. Quem achava que duas novelas rurais pudessem cansar o público pode estar enganado, tamanho o contraste entre as obras.

O dramalhão agro de Walcyr Carrasco, calcado em cores berrantes, um sem-fim de subtramas que não levavam a lugar nenhum e diálogos sofríveis, está muito distante de “Renascer”, mais sóbria nos figurinos, nos diálogos e na direção de arte, uma construção que resulta sofisticada mesmo arquitetada sobre as tintas épicas da história.
O elenco, com a participação de Maria Fernanda Cândido num papel que não existia, se mostrou entrosado no primeiro episódio. A atriz sustenta a maior parte das cenas com segurança e frescor, da mesma forma que Enrique Diaz, que faz um coronel violento.
Humberto Carrão tem imenso carisma, o que compensa certa apatia na atuação, e Juliana Paes, em poucos minutos de tela, também mostra que pode compor uma Jacutinga, a dona do bordel antes vivida por Fernanda Montenegro, com força e cores singulares.

“Renascer” vai trilhar uma rota de turbulência mais adiante. Ainda não vimos o polêmico triângulo amoroso formado por José Inocêncio, o filho rejeitado João Pedro, papel que pode levar Juan Paiva ao patamar que merece, e Mariana, papel de Theresa Fonseca que quase custou a Adriana Esteves a sua carreira.
Também resta ver com que jogo de cintura o roteiro vai contar a história de Buba, a chamada hermafrodita de Maria Luisa Mendonça da novela original agora vivida por Gabriela Medeiros, uma atriz trans.
É raro um remake desbancar o original. Na avalanche de novas versões, no entanto, Luperi se destacou com sua releitura hipnotizante de “Pantanal”, que devolveu o lustro à Globo.
“Renascer” estreia sob pressão enorme. O pontapé inicial, sem delongas ou rodeios, indica uma trajetória firme, com a esperança de que a trama não derrape na troca de fases ou com desvios inúteis.
É um remake que, com sorte, pode consolidar uma espécie de renascimento do gênero, ágil e bem orquestrado, mas não será fácil —e é triste que só releituras de clássicos vinguem neste deserto de ideias.
Os obstáculos de um mundo em chamas estão aí para atrapalhar, mas as novelas sempre foram a dose diária de escapismo de um país que não nos dá trégua. A ver.
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Leia tudo sobre o tema e siga:
Você já conhece as vantagens de ser assinante da Folha? Além de ter acesso a reportagens e colunas, você conta com newsletters exclusivas (conheça aqui). Também pode baixar nosso aplicativo gratuito na Apple Store ou na Google Play para receber alertas das principais notícias do dia. A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade. Obrigado!
Mais de 180 reportagens e análises publicadas a cada dia. Um time com mais de 200 colunistas e blogueiros. Um jornalismo profissional que fiscaliza o poder público, veicula notícias proveitosas e inspiradoras, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?
Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Carregando…
Carregando…
Previdência Privada: tire suas dúvidas sobre portabilidade
Série produzida pelo Estúdio Folha ganha Prêmio Nacional de Combate à Pirataria
Previdência Privada é aliada em todas as fases da vida
Sabor de Heineken, só Heineken; cervejaria revela segredos de seu sabor único
Centro de Cardiologia do Sírio-Libanês chega aos 15 anos com padrão internacional
Os perigos da desinformação em saúde
Os desafios e oportunidades para a saúde suplementar
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Valor de R$ 4,9 bilhões será o dobro da verba pública destinada na campanha municipal anterior
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Isabella Faria conversa com João Gabriel às 18h, ao vivo
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Entidade afirma não ter 'convicção suficiente sobre a materialidade da denúncia' após analisar vídeo enviado pela Câmara Municipal
Copyright Folha de S.Paulo. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.

O jornal Folha de S.Paulo é publicado pela Empresa Folha da Manhã S.A. CNPJ: 60.579.703/0001-48
Copyright Folha de S.Paulo. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.
Cadastro realizado com sucesso!
Por favor, tente mais tarde!

source