Como a Globo usou 'Terra e Paixão' para reagir à polêmica com beijos gays – folha.uol.com.br

 Como a Globo usou 'Terra e Paixão' para reagir à polêmica com beijos gays – folha.uol.com.br
Compartilhe

Acesse seus artigos salvos em
Minha Folha, sua área personalizada
Acesse os artigos do assunto seguido na
Minha Folha, sua área personalizada

Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Gostaria de receber as principais notícias
do Brasil e do mundo?
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
O último episódio da novela “Terra e Paixão“, reprisado na noite deste sábado (20), foi marcado por um recorde de beijos gays no horário nobre da emissora, que viveu no ano passado uma crise de imagem por cortar cenas de afeto homoafetivo em novelas e no Domingão com Huck.
Ramiro e Kelvin, interpretados por Amaury Lorenzo e Diego Martins, protagonizaram um casamento com um beijaço muito mais intenso do que o selinho de Mateus Solano e Thiago Fragos, o Felix e o Carneirinho, que há dez anos encerrou a “Amor à Vida” com o primeiro beijo gay da emissora.
“Ele era um homem bruto, cheio de suas certezas, medos e preconceitos que colocaram na cabeça dele a vida toda. Mas eu sabia que no fundo tinha um coração sensível que só queria amar, ser amado e acolhido”, disse Kelvin, de véu e delineador, ao que o amado respondeu com um discurso de declarações apaixonadas. “Eu amo demais você, de um jeito que meu coração até dói”, afirmou Ramiro.
O episódio ainda teve mais beijos entre Kelvin e Ramiro, além de outro entre Mara e Menah, vividas por Renata Gaspar e Camila Damião, que terminaram a trama juntas e noivas —muito diferente do final trágico das personagens de Christiane Torloni e Sílvia Pfeifer em “Torre de Babel”, em 1999, que morreram queimadas em um incêndio em um shopping, devido à recepção negativa do casal entre o público.
Mas não é preciso voltar muito ao tempo para identificar o conflito da emissora entre exibir o afeto de casais LGBTQIA+ e evitar embates com o público conservador. No ano passado, a Globo cortou um beijo com conotação sexual entre Clara e Helena, na novela “Vai na Fé”.
À reportagem da Folha, publicada em outubro, um funcionário da emissora envolvido na produção do folhetim disse, em condição de anonimato, que o corte não teria relação com a homossexualidade, mas com a trajetória de uma das personagens, que era casada e não poderia trair o marido para não ser rejeitada pelo público.

A crise de imagem se agravou quando um beijo do ator Carmo Dalla Vecchia em outros dois homens, durante uma performance em que ele imitava os beijos de Madonna com Britney Spears e Christina Aguilera, foi cortada do Domingão do Huck. A direção fez um corte abrupto e voltou a câmera para a plateia, que irrompeu em aplausos, para evitar a transmissão do beijo.
Os críticos especularam que o corte de “Vai na Fé” pode ter sido uma aposta da Globo para se aproximar do público evangélico, que vinha sintonizando na Record para assistir a novelas bíblicas. Já o beijo do dominical teria sido cortado não pela homossexualidade, mas por seu alto teor erótico, considerado inadequado para uma tarde de domingo, disse à reportagem um diretor da emissora, também em anonimato.

“Babilônia”, trama exibida um ano após o beijo de Félix e seu Carneirinho, mostrou que o limite para mostrar afeto entre pessoas LGBTQA+ é traçado de acordo com a aceitação do público, medida por pesquisas qualitativas feitas pela emissora. Na obra, de 2015, o beijo entre Fernanda Montenegro e Nathália Timberg levou à pior audiência para uma novela exibida na faixa das nove até então.
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Assinantes podem liberar 5 acessos por dia para conteúdos da Folha
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Leia tudo sobre o tema e siga:
Você já conhece as vantagens de ser assinante da Folha? Além de ter acesso a reportagens e colunas, você conta com newsletters exclusivas (conheça aqui). Também pode baixar nosso aplicativo gratuito na Apple Store ou na Google Play para receber alertas das principais notícias do dia. A sua assinatura nos ajuda a fazer um jornalismo independente e de qualidade. Obrigado!
Mais de 180 reportagens e análises publicadas a cada dia. Um time com mais de 200 colunistas e blogueiros. Um jornalismo profissional que fiscaliza o poder público, veicula notícias proveitosas e inspiradoras, faz contraponto à intolerância das redes sociais e traça uma linha clara entre verdade e mentira. Quanto custa ajudar a produzir esse conteúdo?
Os comentários não representam a opinião do jornal; a responsabilidade é do autor da mensagem.
Carregando…
Carregando…
Previdência Privada é aliada em todas as fases da vida
Série produzida pelo Estúdio Folha ganha Prêmio Nacional de Combate à Pirataria
Sabor de Heineken, só Heineken; cervejaria revela segredos de seu sabor único
Previdência Privada precisa alinhar objetivos com o perfil do investidor
Turismo em Minas Gerais é o que mais cresce no Brasil
Centro de Cardiologia do Sírio-Libanês chega aos 15 anos com padrão internacional
Os perigos da desinformação em saúde
Os desafios e oportunidades para a saúde suplementar
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Mesmo com veto, haverá recorde de recursos para atender a pedidos de parlamentares em 2024, além de fundo eleitoral de R$ 5 bilhões
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Isabella Faria conversa com Mariana Zylberkan às 18h, ao vivo
Recurso exclusivo para assinantes
assine ou faça login
Instituições têm mais de 500 estudantes por docente em cursos a distância, e governo vê risco para qualidade do ensino; citadas dizem que são bem-avaliadas
Copyright Folha de S.Paulo. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.

O jornal Folha de S.Paulo é publicado pela Empresa Folha da Manhã S.A. CNPJ: 60.579.703/0001-48
Copyright Folha de S.Paulo. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, eletrônico ou impresso, sem autorização escrita da Folhapress.
Cadastro realizado com sucesso!
Por favor, tente mais tarde!

source